Fones

Dr. Kleber Lacet fala sobre Implante Dentário à Revista Algomais

Postado no dia 24.02.2015 por Odontocape  //   Categoria Geral, Imprensa  //  6 Comentários

A disseminação do implante dentário devolve o prazer da alimentação e ameaça o uso de dentaduras.

Há  47 anos a osseintegração, um princípio aplicado à odontologia, viabilizou o implante dentário. O descobrimento da técnica, pelo médico sueco Per-Ingevar Branemar, demonstrou que o titânio pode osseointegrar-se (“colar-se”) ao osso humano, possibilitando devolver ao indivíduo as funções mastigatórias e a estética da face, por meio de pilares metálicos conhecidos como implantes. No início, o procedimento era restrito aos que tinham condições de arcar com seu alto custo. Hoje em dia, com o bom momento econômico que vive o país, ele tornou-se mais acessível através do barateamento e da possibilidade de parcelar o pagamento.

No Recife, o ODONTOCAPE realiza o procedimento desde 97. Nos últimos dez anos, a procura tem aumentado. Dentre os motivos, o conhecimento do público, que passou a ter acesso a mais informações através da internet e de matérias em revistas especializadas. “Todo mundo sabe o que é implante, hoje em dia. O paciente senta na cadeira dizendo: eu quero um implante”, explica o dentista Kleber Lacet. O segundo motivo decorre do primeiro: com a disseminação da informação, a técnica foi desmitificada e as pessoas perderam o medo. “Ninguém mais vai querer desgastar mais dois dentes, pra poder repor um, que era o que se fazia antigamente, a chamada ponte fixa”, completa. Em relação à procura por gênero, as mulheres continuam predominando, por serem mais vaidosas. Os homens têm se rendido, cada vez mais, não somente pela estética, mas pela funcionalidade, porque o implante possibilita que a pessoa recupere a qualidade de vida, inclusive na alimentação. Gilberto José fez um implante há pouco mais de dois anos, por questão de auto-estima e encorajado pelo tratamento bem sucedido da mãe. Ele conta que teve alguns problemas de sensibilidade na gengiva, e que após o procedimento teve pequenos sangramentos, controlados por remédio. Nada que o tenha desanimado. “Estou tão satisfeito que penso em fazer o implante também na parte superior”, afirma.A crescente procura tem colocado em questão o uso da dentadura. Para Kleber, o motivo pelo qual ele persiste é que existe uma parcela da população que ainda não pode financiar a realização de um implante, pois “são raros os casos que não tem solução”. Nos mais simples, o implante pode ser realizado em três dias. A exceção são as situações em que é preciso fazer reconstruções ósseas, os chamados enxertos ósseos. Foi o caso de Sebastião Macário, cujo tratamento durou quase dois anos e meio, porque precisou fazer o preenchimento com osso, para colocar 20 dentes nas arcadas superior e inferior. Satisfeito com o tratamento, ele afirma que não esperava um resultado tão bom, e já está planejando as finanças para que a mulher possa fazer o mesmo tratamento.  “Se esse problema financeiro não existisse, eu lhe diria que a dentadura estaria aposentada”, arrisca Kleber.O uso da dentadura apresenta várias ressalvas, por parte dos dentistas, pois ela provoca perda da estrutura óssea, devido à pressão que exerce nos tecidos. Em algum momento, por melhor que seja, ela ficará folgada, porque a estrutura de gengiva e osso que está por baixo dela vai diminuindo. O implante pausa essa perda óssea gradativa porque o organismo entende que ele voltou a ser útil. Além disso, a dentadura cria fungos, e se estiver mal encaixada, fere a boca, podendo causar lesões graves, inclusive cancerígenas. Alguns estudos também apontam que as pessoas que usam prótese total perdem cerca de 75% do paladar.encaixada, fere a boca, podendo causar lesões graves, inclusive cancerígenas. Alguns estudos também apontam que as pessoas que usam prótese total perdem cerca de 75% do paladar.

Entrevista com Dr. Kleber Lacet a Revista AlgoMais – 16/01/2013

6 Comentários

  • Preciso realizar este procedimento, porém preciso saber o valor e se posso parcelar!

    • Prezada Isabel,

      agradecemos o seu contato, e respondendo sua pergunta, segundo as normas do CRO/PE – Conselho Regional de Odontologia, é proibido informar valores de tratamentos, devendo somente ser feito quando o paciente é examinado por um profissional Cirurgião-Dentista. Porém, no ODONTOCAPE todo tratamento poderá ser parcelado, sem juros.
      Agende uma consulta de diagnóstico, nela o Dentista informará qual tratamento deve ser realizado, orçamento e as condições para pagamento.

  • gostaria de saber se vcs trabalham com algum plano e se sim ,qual?grata silmara

    • Sil,
      Agradecemos o seu contato, e respondendo sua pergunta, o ODONTOCAPE não trabalha com planos de saúde. E caso o seu tratamento não seja autorizado pelo seu plano odontológico, nos procure, pois aqui todo tratamento poderá ser parcelado, sem juros. Somos uma empresa com 16 anos de sucesso e milhares de sorrisos, referência em tratamentos estéticos e reabilitadores.
      Agende uma consulta. Venha conhecer o ODONTOCAPE, aqui você vai ganhar um novo sorriso.
      Atenciosamente,
      Nádia Sarmento
      CRC – Centro de Relacionamento com o Cliente

  • Gostaria de saber qual o valor máximo de parcela

    • Prezado Elivelthon,

      Quanto aos preços, segundo as normas do CRO/PE – Conselho Regional de Odontologia, é proibido informar valores de tratamentos, devendo somente ser feito quando o paciente é examinado por um profissional Cirurgião-Dentista. Porém, no ODONTOCAPE todo tratamento poderá ser parcelado, sem juros, aceitamos os cartões de crédito (Mastercard, Visa, American Express e Diners).

Deixe um Comentário